Miloro*

Miloro*
*sonho

terça-feira

Viagem

Porque a Luz mora AQUI

Neste Céu

onde | de |

cor|em
Cor
me encontro...

O que for_____________________



n|A| face |D|esta cor

|d|o infinito

|a|pareço
______________


sexta-feira

Alguma vez te perguntaste ... |?|


Pergunta:

________Alguma vez te sentiste um eco de ti mesmo |?|
Por vezes perco-me nas palavras | ! |
ou serão as palavras perdidas em |de | mim
________ |?| !

terça-feira

À MADEIRA

Às pessoas
e aos lugares que elas habitam
e aos lugares
e às pessoas
que habitam em nós...
porque ajuda nasce de ser e da vontade...

"Urgentemente"

É urgente o amor.
É urgente um barco no mar.

É urgente destruir certas palavras,
ódio, solidão e crueldade,
alguns lamentos,
muitas espadas.

É urgente inventar alegria,
multiplicar os beijos, as searas,
é urgente descobrir rosas e rios
e manhãs claras.

Cai o silêncio nos ombros e a luz
impura, até doer.
É urgente o amor, é urgente
permanecer.

Eugénio de Andrade



quinta-feira

Walk on...

video
Fonte do vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=gwKEdFoUB0o

U2 - Walk On

And love is not the easy thing
The only baggage you can bring...
And love is not the easy thing...
The only baggage you can bring
Is all that you can't leave behind

And if the darkness is to keep us apart
And if the daylight feels like it's a long way off
And if your glass heart should crack
And for a second you turn back
Oh no, be strong

Walk on, walk on
What you got, they can't steal it
No they can't even feel it
Walk on, walk on

Stay safe tonight...

You're packing a suitcase for a place none of us has been
A place that has to be believed to be seen
You could have flown away
A singing bird in an open cage
Who will only fly, only fly for freedom

Walk on, walk on
What you got they can't deny it
Can't sell it or buy it
Walk on, walk on
Stay safe tonight

And I know it aches
And your heart it breaks
And you can only take so much
Walk on, walk on


Home...hard to know what it is if you never had one
Home...I can't say where it is but I know I'm going home
That's where the heart is

I know it aches
How your heart it breaks
And you can only take so much
Walk on, walk on

Leave it behind
You've got to leave it behin
d
All that you fashion
All that you make
All that you build
All that you break
All that you measure
All that you steal
All this you can leave behind
All that you reason
All that you sense
All that you speak
All you dress up
All that you scheme...

Musica: U2
Letra: Bono

______________________
________

Porque há que encontar |O| Sentido______________
___________________________________________________________

Nós___... ... ...



















De que tecido são feitos os meus
sonhos...........

| ! | ? | ...

segunda-feira

recado...ouve-me

Nunca as tuas palavras me construíram "tantos sentidos" __________________









Recado | do dia em que me entrego | a ti | ao mar

"ouve-me
que o dia te seja limpo e
a cada esquina de luz possas recolher
alimento suficiente para a tua morte

vai até onde ninguém te possa falar
ou reconhecer – vai por esse campo
de crateras extintas – vai por essa porta
de água tão vasta quanto a noite

deixa a árvore das cassiopeias cobrir-te
e as loucas aveias que o ácido enferrujou
erguerem-se na vertigem do voo – deixa
que o outono traga os pássaros e as abelhas
para pernoitarem na doçura
do teu breve coração – ouve-me

que o dia te seja limpo
e para lá da pele constrói o arco de sal
a morada eterna – o mar por onde fugirá
o etéreo visitante desta noite."

Al Berto

domingo

onde sempre me | te encontro...



Por vezes perdemo-nos,
perdemo-nos nos contornos da vida,
de veludo, cetim, seda ou algodão...


_________________________ dentro, bem dentro de mim...
| talvez no olhar de uma utopia

renasce | emerge essa luz onde sempre volto e te encontro...

terça-feira

never too late...

eu sinto... eu sei...
video
(série de anime "Naruto" de Masashi Kishimoto)
Música: Three Days Grace, "Never too late"
(Fonte: http://www.youtube.com/watch?v=3Zo_AM1W6A8)


Porque há histórias que ficam em nós...
e há "lugares" onde bebemos inspiração..|_____________________
______________

"The Bucket List"
video
Fonte do vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=4XAeccQ1StE
estas são as palavras________

"Say", Jonh Mayer...

"Take all of your wasted honor
Every little past frustration
Take all of your so-called problems
Better put them in quotations

Say what you need to say (8x)
Say what you need to say
Say what you need to say
Say what you need to say
Say what you need to say
Say what you need to say
Say what you need to say
Say what you need to say

Walking like a one man army
Fighting with the shadows in your head
Living out the same old moment
Knowing you’d be better off instead
If you could only

Say what you need to say (8x)
Say what you need to say
Say what you need to say
Say what you need to say
Say what you need to say
Say what you need to say
Say what you need to say
Say what you need to say

Have no fear for giving in
Have no fear for giving over
You better know that in the end
It’s better to say too much
Than never to say what you need to say again

Even if your hands are shaking
And your faith is broken
Even as the eyes are closing
Do it with a heart wide open

Say what you need to say
Say what you need to say
Say what you need to say
Say what you need to say

Say what you need to say
Say what you need to say
Say what you need to say
Say what you need to
Say what you need to

Say what you need to say
Say what you need to say
Say what you need to say
Say what you need to say

Say what you need to say
Say what you need to say
Say what you need to say
Say what you need to say

Say what you need to say
Say what you need to say
Say what you need to say
Say what you need to say
(Fade)
Say what you need to say
Say what you need to say
Say what you need to say
Say what you need to say "
_________________________

Porque é real o nosso poder de voar!

VIDA!!! Lado - a - Lado...


VIVER com letras maiúsculas numa frase com muitos pontos de exclamação!!!

Não espera "Uma Frase"?Não! Não pode ser apenas uma frase... Há música também ... e cor...
| mãos dadas e abraços|_______

Exultar | amar | beber ... ... ... ... dessa fonte que nos chega do Sol...

ser barco-------viver o Mar________o HORIZONTE...


________quantas vezes a Palavra não será também "RECOMEÇO" |?!| ...
_____________________________

O que sei | ou sinto | ou amo...

No sabor das madrugadas | Somos astro | somos farol...

segunda-feira

Espero |d|o tempo... espero...

Tempo...
É tempo |
Tem que ser tempo___________

| de |_____________________

galgar marés,
de seguir de mãos dadas com o vento

| de |

olhar os relâmpagos de frente e não se deixar cegar_______

| de |

agarrar os trovões com as mãos ...

É | hora |
de não dar título às palavras, hora de sentir e pronto...
de cultivar a força, buscar luz...

é também tempo de sofrer de olhos fechados quando a dor existe
de receber as lágrimas quando elas teimam em chegar

| de |

sentir tudo o que existe para sentir
dizer tudo o que existe para dizer

| de |
saber descobrir a minha voz, reconhecê-la e dizer à tempestade que ela existe
mas que grito | luto

e | Espero |________________

poder dançar | sorrir | e andar descalça à chuva _________ tudo ao mesmo tempo
vestir-me de leveza... e esperar que a espuma do mar venha banhar-me os pés...

| ESPERO |
quero tanto viver assim...
...

sexta-feira

Uma AMIGA, com letras maiúsculas e a negrito, mandou-me esta imagem, com ela vinha o pedido para eu a colocar aqui rodeada de palavras bonitas que arredassem a tristeza e a colocassem num canto...
Fotografia: Cheryl Ravelo/Reuters

Neste dias, o meu olhar busca cor por todos os lados... dentro e fora de mim...

| este gesto é um arco-íris | um sorriso e um abraço | Tudo junto...

Obrigada, linda_____________ Ana|Bela

quinta-feira

do mar | a obra...|

Ontem fui ver o mar...
Emprestei-lhe o meu olhar para que o levasse ao horizonte...
no crepúsculo

Pedi-lhe,
sem palavras, que me trouxesse algo como esperança...
Esperei... | ainda espero |...
o mar é imenso e a viagem até ao horizonte é longa...
tenho que esperar...
Não sei se me trará respostas mas senti-o banhar-me os pés...

Sê paciente... |tento|... O grande pedaço do mundo foi embora...

Agora reaprender a arte e continuar a obra no universo que resta do que sou...

Tenho pressa... tanta pressa de sorrir...
| da leveza |

e
saudade da cor...

domingo

Preciso... do meu olhar...

O meu olhar percorre a estante...
Preciso de um livro para ler...


Tenho que começar um livro novo... um que me tenha oferecido a mim... | :
José Luís Peixoto "Cemitério de Pianos":

"À procura, procura do vento. Porque a minha vontade tem o tamanho de uma lei da terra. Porque a minha força determina a passagem do tempo. Eu quero. Eu sou capaz de lançar um grito pra dentro de mim, que arranca árvores pelas raízes, que explode veias em todos os corpos, que trespassa o mundo. Eu sou capaz de correr através desse grito, à sua velocidade, contra tudo que se lança para deter-me, contra tudo o que se levanta no meu caminho, contra mim próprio. Eu quero. Eu sou capaz de expulsar o sol da minha pele, de vencê-lo mais uma vez e sempre. Porque a minha vontade me regenera, faz-me nascer, renascer. Porque a minha força é imortal."

Quero escutá-lo... nestas palavras não tenho medo de me perder...

segunda-feira

Ausência



"Num deserto sem água
Numa noite sem lua
Num país sem nome
Ou numa terra nua,
Por maior que seja o desespero
Nenhuma ausência é mais funda do que a tua."

Sophia de Mello Breyner Andresen

sábado

Folha em Branco...

...vou escrever mais uma página. Ela não tem que ser grande nem pequena, as palavras não têm que ser bonitas e não tem sequer que ter pontuação. Tem que ter | ser... apenas escrita...

Por vezes, "agigantamos" (a palavra, nem sei se existe, mas o significado tenho-o comigo), bem, continuando… "agigantamos" tanto a realidade que nos perdemos nela… As coisas tornam-se tão imensas que se transformam intocáveis. Podemos vê-las, senti-las, e muitas ferem-nos todos os sentidos… Podemos dizer-lhes “Sai daqui”, “não te preciso” mas elas não vão, não deixam de lá crescer na existência, são presenças impostas…

Às vezes penso… A tal página, essa que tenho que escrever hoje, queria tanto poder deixá-la em branco, que ela acontecesse sem que eu desse conta… Mas que a história não deixasse de ser escrita, eu sei que ela tem que continuar… é que, às vezes sinto-me tão cansada de escrever, doem-me as mãos e os olhos e há palavras, frases inteiras em que me esgota pensar…

O que eu queria realmente escrever são notas, notas de rouxinol… mas o rouxinol não tem notas, ele canta e pronto… sim, era isso que eu queria… cantar… e pronto…

Eu quero essa melodia para mim e que a tal realidade se deixasse tocar, ou eu me deixasse tocá-la ou nos encontrássemos a meio do caminho… para eu a poder ver inteira e esses lugares tão grandes não me ferissem os olhos…

Queria outra coisa… viver só de coisas pequeninas, porque as coisas pequeninas causam dor pequenina e as coisas grandes causam dor maior do que elas próprias… lá a realidade é gigantesca e perdemo-nos nos labirintos…

Eu queria seguir viagem, mas todos os caminhos me apontam para ti…

Como é possível tornarmos passado o nosso horizonte? Eu não sei fazer… dói, só queria que passasse, que eu perdesse a viagem mas não importasse…

É hora de dizer adeus… não gosto desta palavra… causa-me arrepios… temor até… mas eu sei que ela existe, que, mesmo que nos atravesse a alma como uma espada, por vezes temos que a usar… pode nem ser numa frase… pode ser só adeus… a frase não é precisa, não se diz adeus assim tantas vezes, acho que ela não se vai confundir, que vai conseguir encontrar a frase onde pertence… dói dizê-la…

Depois… outra hora, porque as horas vão passando e preciso preenchê-las com alguma coisa… nem que seja silêncio… sim, acho que, “por momentos” preciso de silêncio… de mim, sobretudo de mim, porque agora, neste momento sou isto, e preciso de silêncio d’isto, da tal frase do adeus

Canso-me por hoje…

Amanhã talvez a luz me visite, me beije a face e quem sabe… até fique um bocadinho…

quarta-feira

Doze moradas de silêncio...

Por vezes são
mais moradas, mais silêncios, bem mais do que doze... | mundos imensos |
por vezes nem são silêncios,
são palavras ditas para dentro |
onde a fonte e o destino
são uma e a mesma coisa...








"hoje é dia de coisas simples

(Ai de mim! Que desgraça!
O creme de terra não voltará a aparecer!)
coisas simples como ir contigo ao restaurante

(...)
falaremos do tempo com os olhos presos dentro das
chávenas
inventaremos palavras cruzadas na areia... jogos
e murmúrios de dedos por baixo da mesa
beberemos café
sorriremos à pessoas e às coisas
caminharemos lado a lado os ombros tocando-se
(se estivesses aqui!)
em silêncio olharíamos a foz do rio
é o brincar agitado do sol nas mãos das crianças
descalças
hoje"

AL Berto

Guardador da ilha (Al Berto)

Há homens com quem se pode aprender a ver aquilo que dentro de nós existe e não sabíamos. Reconhecemo-los pelo olhar. Quando se aproximam, a noite reflecte-se clara nos nossos rostos. Têm gestos lentos, precisos, como os dos deuses marinhos que habitaram, além, no mar rente à ilha. Às vezes, quando à hora do calor durmo debaixo duma árvore, aparecem-me em sonhos. Contam que são homens sempre de passagem. Não pertencem a lugar nenhum e raramente pernoitam duas vezes de seguida no mesmo sítio. São homens errantes e muito antigos. Deslocam-se como se fossem sombras. Transportam no coração a euforia de quem viaja. Uma noite conheci um desses homens e toquei-lhe. Veja a queimadura que me deixou nos dedos. Está a ver? Por isso não saio daqui. Guardo e vigio a ilha - como se ela precisasse do meu olhar para se manter um ser vivo. Passo os dias dizendo, em voz alta, os nomes das plantas e dos animais, assim... como se rezasse. E, uma noite, do fundo marinho da ilha virá outro homem, ou um deus, para me ensinar mais coisas sobre estas terras.Vivo nesta charneca que se estende na Cabeça da Cabra até ao mar. Olho fixamente a ilha, mesmo durante a noite, quando ela tem o perfil duma cabeça deitada sobre as águas. Deixo a vida escoar-se ao ritmo das migrações das aves. E ao fim de muitos anos descobri que a ilha é um lugar que cresceu, misteriosamente, dentro de mim. O meu corpo transformou-se em ilha. Olho a ilha, sou a ilha. Mas não te quero demorar mais. Se quiseres, antes de seguires viagem, ensino-te os nomes dos animais. E se me deres a tua mão, queimar-te-ei os dedos, exactamente como queimaram os meus. Depois, poderás partir por essa linha litoral traçada pelo fogo da pele.

In "O Anjo Mudo" de Al Berto

quinta-feira

amanhã

amanhã é um projecto, um plano ou um sonho | é uma forma ou um contorno |
será um esboço____________________________

|e| a cor há-de chegar |?|...

inacabado | por acabar | iniciado...

quarta-feira

World Builder by Bruce Branit

existem coisas no mundo que nos deixam sem palavras... esta é uma delas...


video

quinta-feira

tristeza imensa... mas mais serena

 Ao meu irmão...


Já passaram duas semanas e três dias desde que partiste...


No início eram lágrimas, enchentes delas, até...

Era o grito, o apelo,
O canto desesperado que, por mais alto que soasse, não te traria de volta

Eu sabia Eu sei


Depois

o frio
a solidão imensa da tua ausência
A superfície gelada das casas
a voz das noites em claro
que teimavam em não encontrar-se com a manhã


Agora é vazio
dor
saudade
tristeza imensa

reviver e recordar
sempre sempre sempre


E
vejo-te
acreditas? eu acredito

vejo-te!
estás aqui
como sempre estiveste
E és feliz*


És vento
Chuva
e
Mar

segunda-feira

Grande lição de esperança | de recomeço

Life as a House (Uma casa Uma vida)

video

Cúmplices

Esta música é também tão nossa... Adoro-te, sinto tanto a tua falta, maninho*

video
Cúmplices - Mafalda Veiga

domingo

Lembro-me... Lembras-te? :)

Lembro-me que já aqui éramos grandes amigos...

Lembras-te?


Lembras-te de quando íamos juntos para a escola e para a catequese?
Quando a minha mãe me ia buscar à escola e já vínhamos os dois pelo caminho de regresso? :)
Ou de virmos todos juntos na carrinha azul da Dona Fernanda, mãe do Hugo?

Quando conseguimos juntar 100 escudos e fomos à "pipocas" comprar cromos, que viemos ver para o jardim, cheios de entusiasmo? Contei esta história ao teu irmão esta semana depois de partires... quando fomos comprar as cartolinas para colocar as tuas fotografias na parede do teu quarto... rimos... Lembro-me

Lembras-te?

Quando vínhamos da escola, tínhamos talvez 8, 9 anos e subimos a nespereira que havia atrás dos correios na rua atrás da tua casa para comer nêsperas, que estavam ainda verdes?

Lembro-me

De andar contigo na bicicleta que eu pensava que era azul mas o Marquinho diz que é vermelha... não me lembrava da cor...

No 8º ano, o trabalho que fizemos juntos para Inglês, sobre Londres, fomos pedir folhetos à agência de viagens e ficámos quase meia hora a rir à porta antes de entrarmos:)

Lembras-te?

De irmos juntos ver os resultados da entrada para a faculdade, eu, tu, o Pedro Zé e o Pedro Miguel?

Do ano em que vivemos os dois no Porto, e estávamos juntos todos os dias? Dos gelados à noite no Via Catarina, e de me ires esperar ao expresso sempre que eu regressava de fim-de-semana e tu ficavas no Porto? Das viagens que fazíamos juntos para lá? Das tardes e serões em que me fazias penteados e ríamos e conversávamos…

Das festas de aniversário? Das passagens de ano com o Marquinho, o Ricardo, a minha irmã, o teu irmão, dos jogos, das gargalhadas que nos faziam doer a barriga, da lasanha vegetariana… :)

Das muitas idas ao cinema… COMO TE ADORO!****

De me ires buscar ao comboio e me dares aquele abraço de que eu tanto precisava e, naquele momento, me dares tanta paz…

Lembro-me

Do almoço de soja que fizemos na tua casa em Lisboa, de passearmos por Lisboa à noite quando me foste buscar ao aeroporto, depois de me perguntares com aquele carinho tão teu… “Queres ir para casa ou queres andar um bocadinho, bébé?”

Lembro-me de tantas coisas mais, tantas!

Lembro-me... Lembras-te?

De seres meu confidente, de eu ser tua confidente, das conversas longas ao telefone... Dos abraços apertados… do ombro amigo, do amor, desta amizade que sempre nos uniu


De saber tudo de ti, de saberes tudo de mim…

Amo-te… lembro-te... Habitas a minha história e vives em mim*


Tua mana Maria***


quarta-feira

Joãozinho, chegaste à tua estrela, meu amor...

O pintor Vincent Van Gogh disse um dia que "assim como apanhamos um comboio para chegar a Arles ou Reims, apanhamos a morte para chegar a uma estrela". Esle disse isto ao falar do qaudro "A noite Estrelada" que, no dia 1 de Setembro de 2008, recebeu mais uma estrela... TU, meu amor...

Que sortudo, o céu! :)

Adoro-te... tua "maneca" MARIA (Sandra Maria)

horizonte

És horizonte... somos olhar
...

Joãozinho


Vá, não te rias
como se fosse para o cartaz de um filme
pronta?
Ricardo, podes tirar
Vá não te rias
pronto já está
cá estamos

João [Gui] e Sandra [Maria] amigos SEMPRE

Sim SEMPRE

A M I G O

Porque não consigo verbalizar, as palavras são poucas nem se aproximam do que sinto

porque não páro de perguntar porquê E não obtenho resposta...

porque, Joãozinho, tu DÁS sentido à palavra SEMPRE

sim, somos irmãos, S-E-M-P-R-E [E]TERNAMENTE



Eu estou aqui... sim, sabes............... eu sei............................

__________________________________
__________________________________

A-M-I-G-O


Mal nos conhecemos

Inaugurámos a palavra «amigo».


«Amigo» é um sorriso De boca em boca,

Um olhar bem limpo, Uma casa, mesmo modesta, que se oferece,

Um coração pronto a pulsar Na nossa mão!


(...)



«Amigo» é o contrário de inimigo!

«Amigo» é o erro corrigido,
Não o erro perseguido, explorado,


É a verdade partilhada, praticada.
«Amigo» é a solidão derrotada!
«Amigo» é uma grande tarefa,


Um trabalho sem fim, Um espaço útil, um tempo fértil,

«Amigo» vai ser, é já uma grande festa!



Alexandre O’Neill, in No Reino da Dinamarca

domingo

(---) p'ra chegar a uma estrela


A noite Estrelada
(Vincente Van Gogh)
para o meu Joãozinho... adoro-te meu maninho SEMPRE



E S P E R A N Ç A

...........

Uma viagem... sim só isso uma viagem. [re]começo....

terça-feira

não tem título, porque é que tem que ter título? Não tem, é o que é, sem título...


para minha LaraLuz...

MUDANÇA DE ESTAÇÃO
para te manteres vivo - todas as manhãs
arrumas a casa sacodes tapetes limpas o pó e
o mesmo fazes com a alma - puxas-lhe brilho
regas o coração e o grande feto verde-granulado

deixas o verão deslizar de mansinho
para o cobre luminoso do outono e
às primeiras chuvadas recomeças a escrever
como se em ti fertilizasses uma terra generosa
cansada de pousio - uma terra
necessitada de águas de sons de afectos para
intensificar o esplendor do teu firmamento

passa um bando de andorinhões rente à janelas
obrevoam o rosto que surge do mar - crepúsculo
donde se soltaram as abelhas incompreensíveisda memória
luzeiros marinhos sobre a pele - peixes
que se enforcam com a corda de noctílucos
estendida nesta mudança de estação

Al Berto

segunda-feira

making my own way...

video

e no fim a luz de uma palavra [Esperança]

sempre, aqui e agora em mim, em nós

não é fim. é clamor de vida!

domingo

olhar...

Os olhos são o espelho da alma... William Shakespeare... é bem verdade!
São janelas... também***************************************

voar

VOAR... asas ...as do pensamento...

Tinta da china sobre papel

terça-feira


Existem pessoas que nem parecem pessoas, antes estrelas ou anjos... vêm do céu, só pode ser... não lhes encontro outra origem nem destino...


para elas, (sabem quem são), uma promessa:
eu [e]ternamente, aqui...
abenç[sonh]ados todos...

obrigada



terça-feira

"um caminho daqui até ao mar..."


Sandra Santos
grafite sobre papel
2007

..."Para que ninguém possa esquecer o quanto seria bom, se por cada mar que nos espera, houvesse um rio para nós. E alguém _ um pai, um amor, alguém _ capaz de pegar na nossa mão e de encontrar esse rio _ imaginá-lo, inventá-lo _ e na sua corrente pousar-nos com a leveza de uma única palavra, adeus.
Sem dúvida seria maravilhoso. Seria doce a vida, qualquer vida.
E as coisas não magoariam, mas aproximar-se-iam trazidas pela corrente, poder-se-ia primeiro aflorá-las, depois tocá-las e só no fim deixar-se tocar. (...)
Seria suficiente a fantasia de alguém _ um pai, um amor, alguém. Ele saberia inventar um caminho, aqui neste silêncio, nesta terra que não quer falar _ caminho clemente, e bonito. Um caminho daqui até ao mar. (...)

Alessandro Baricco, in Oceano Mar

sábado

"...os pássaros sejam pressentimentos de felicidade"...


Sandra Santos
grafite sobre papel
2001

"Suspenso na altura tenebrosa das gáveas... viajo para viver onde os sinais de vida não magoem e os pássaros sejam pressentimentos de felicidade"

Al Berto, in "Rumor dos fogos"

"O olhar de cada um..."


Sandra santos
carvão sobre papel
1998

"A pouco e pouco,
aprendi que nenhum viajante vê o que
outros viajantes, ao passarem pelos mesmos
lugares, vêem.
O olhar de cada um, sobre as coisas
do mundo,é único, não se confunde com
nenhum outro."

Al Berto, in O Anjo Mudo

"e de gota de água transforma-te no mar"


*ofereci ao meu amigo Zé Luís

Sandra Santos
carvão sobre papel
2005

"Primeiro foste mineralDepois vegetalE mais tarde animal:E como ignorá-lo?Fizeste-te HomemQuando tiveres transcendido a condição humana, serás,Sem dúvida,um anjo:Supera a tua condição angélica;Penetra no oceano, e de gota de águatransforma-te no mar..."
Djalâl Ud-Dîn Rûmî

Venham meus amigos Não é tarde demais para procurar um mundo mais novo"

Sandra Santos
grafite sobre papel
2006

"Venham meus amigosNão é tarde demais para procurar um mundo mais novo. Eu estou decidido a navegar para além do crepúsculo... E, embora não tenhamos a força que outrora movia terra e céu, nós somos como somos, Idêntica têmpera de corações heróicos Tornados fracos pelo tempo e destino Mas fortes em determinação…Para lutar, procurar e não capitular…"
Alfred Lord Tennyson

"O amor nasce, vive e morre nos olhos"


Sandra Santos
carvão sobre papel
2002

"O amor nasce, vive e morre nos olhos"William Shakespeare

"...O destino não é uma corrente, mas um vôo"...


Sandra Santos
grafite e carvão sobre papel
2000

"Quero dar-te a perceber que o destino não é uma corrente, mas um vôo"Alessandro baricco, in Oceano Mar

Caminho


Sandra Santos
grafite sobre papel
2006

"Recomeça...
Se puderes,
Sem angústia e sem pressa
E os passos que deres nesse caminho duro do futuro
dá-os em liberdade
Enquanto não alcances não descanses
De nenhum fruto queiras só metade.
E nunca saciado,vai colhendo ilusões sucessivas no pomar
sempre a sonhar
E vendo, acordado
O logro da aventura
És Homem, não te esqueças
Só é tua a loucura, onde ,com lucidez te reconheças".
Miguel Torga, in Diário

sexta-feira

"esquecendo-me, recorda-me"...


Sandra Santos
grafite sobre papel
2000

"Em tempo de narcisos (que sabem o sentido da
vida é crescer)
esquecendo porquê, recorda como
Em tempo de lilases que proclamam
o desígnio da vigília é sonhar,
Recorda assim (esquecendo parece)
Em tempo de rosas (que assombram
o nosso agora e aqui com o paraíso)
esquecendo se, recorda sim
Em tempo de todas as doçuras para além do que quer
que a mente possa entender,
Recorda busca (esquecendo acha)
e um mistério a haver
(quando o tempo do tempo nos livrar)
esquecendo-me, recorda-me"

E.E. Cummings

"Procuremos acender uma vela"...


Sandra santos
grafite sobre papel
2006

"procuremos acender uma vela em vez de amaldiçoar a escuridão."
Confúcio